Estrias têm cura? Veja tudo o que precisa saber sobre essas marcas na pele

Você tem estrias? É bastante difícil encontrar uma mulher que não tenha. De acordo com estudos da Universidade de Michigan de 2018, entre 50% e 90% das mulheres têm as tais marquinhas na pele. Mas, embora sejam muito comuns — e não há absolutamente nada de errado em tê-las — muitas mulheres ainda se sentem constrangidas.

Para chegar ao fundo do assunto, conversamos com Adriano Loyola, do Departamento de Cosmiatria Dermatológica da Sociedade Brasileira de Dermatologia, de Goiás, e descobrimos tudo sobre as estrias.

Origem e definição

“As estrias são formadas em decorrência do rompimento das fibras elásticas e colágenas na pele”, afirma Adriano. Elas aparecem quando há um estiramento muito rápido, como, por exemplo, na gravidez, na adolescência, com a musculação e com ganho de peso. “O aparecimento depende também de fatores genéticos, qualidade da pele, idade, alimentação, entre outros fatores”, explica o dermatologista.

Estrias vermelhas/roxas

Mais recentes e fáceis de tratar porque ainda estão na fase inflamatória. “A cor avermelhada significa que o tecido cutâneo ainda não foi totalmente prejudicado e que há sangue circulando no local”, explica o dermatologista.

Estrias brancas

Mais velhas e são resultado da cicatrização do processo inflamatório das estrias vermelhas. “Tratamento delas é mais intenso e difícil, que pode provocar uma agressão maior na pele”, diz Adriano.

Tem cura?

“As estrias em estado avançado, principalmente as largas e mais profundas, não tem cura. Existem tratamentos para diminuir o tamanho, a profundidade, e torná-las com menos visíveis a pele”, fala Adriano. A boa notícia é que já existem muitos tratamentos para amenizar e melhorar a aparência das estrias na pele. “Quanto mais cedo iniciar, melhor a resposta”.

Melhores tratamentos

Os tratamentos variam muito de acordo com o tipo de estria. Então o ideal é conhecer seu tipo  e procurar a opinião de um especialista. “Hoje em dia nós temos uma grande quantidade de tecnologia: lasers, microagulhamento e, radiofrequência, peelings, dermoabrasão… São recomendados também cremes hidratantes a base de lactato de amônio, ureia, vitamina E, e substâncias com ação antioxidante, como a Vitamina C e ácido glicólico”, conta Adriano.

Como prevenir

A melhor prevenção para evitar estrias são os cuidados diários básicos: manter a pele sempre hidratada, ter uma alimentação balanceada, beber bastante água, fazer atividades físicas regularmente.

Fonte: Cosmopolitan